Categoria: Business

7 resultados imediatos que um ERP pode trazer

Saiba quais são as soluções que o iCom oferece a todo tipo de negócio

Existem diversos problemas comuns na gestão de uma empresa. Desde a adoção de uma estratégia fraca até o engano na digitação de um código. Os erros, cedo ou tarde, impactam negativamente no desempenho da empresa, comprometendo seu avanço.

Com o conhecimento dos erros mais típicos, a chance de cometê-los é menor. Adotando um ERP para promover a gestão do seu negócio, fica ainda mais improvável ter que lidar com esses incômodos. Você ganha mais segurança, praticidade e eficiência.

7 soluções que o iCom oferece aos negócios

Há uma série de vantagens em contar com o iCom, um ERP que tem como objetivo potencializar a eficácia de processos de uma empresa. Fique por dentro de algumas:

1. Preenchimento certeiro dos códigos de produtos

Errar no preenchimento de códigos é uma armadilha comum e perigosa na gestão de uma empresa. Ela acontece, principalmente, por conta das minúcias nas normas, que variam conforme estado de origem e de destino do produto. O iCom possui inteligência fiscal, garantindo a codificação fiscal adequada.

2. Tecnologia adequada ao negócio

Manter-se competitivo não é uma tarefa fácil. Ao ignorar a tecnologia, seu negócio já fica desatualizado. Por isso, é importante estar aberto a adotar inovações que podem trazer melhorias para a empresa.

É válido ressaltar que a tecnologia é vista como uma tendência para o pós-pandemia, uma vez que o período de isolamento mostrou como essa ferramenta pode ser benéfica para o meio empresarial. O iCom é uma inovação que se alinha às necessidades da sua companhia, fornecendo soluções precisas.

3. Fim do desperdício de estoque

Muitas empresas encaram o problema de falta de certo produto ou sobra demasiada de outro. Com o iCom, que estuda as tendências de compras e vendas, planejando as reposições de estoque, a companhia fica com o fluxo de estoque favorável.

4. Acompanhamento das legislações

Para continuar em dia com o Fisco é preciso cumprir as obrigações relacionadas aos impostos. Mas as normas tributárias estão em constante mudança, o que dificulta o trabalho da empresa. Por isso, contar com um ERP é importante: ele facilita o acompanhamento das modificações legislativas, atualizando-se automaticamente.

5. Setores da empresa alinhados

A desintegração dos diversos setores da empresa compromete o resultado final da companhia. Pensando nisso, o iCom oferece uma faceta administrativa completa, permitindo que todas as equipes verifiquem as informações que precisam.

6. Mais atenção ao cliente

O iCom te ajuda a atender seu cliente com mais qualidade. Isso porque esse ERP produz dados sobre tendências de compras. Juntamente a isso, o software flexibiliza a relação com o cliente e com o controle de estoque, entregando aquilo que o freguês necessita.

7. Aumento dos lucros

O iCom realiza análises automatizadas e em tempo real do setor financeiro do negócio, reduzindo de forma significativa os gastos exacerbados e os riscos financeiros.

Conclusão

Com o cenário atual a tecnologia se infiltrou ainda mais no contexto das companhias, sendo a saída para lidar com muitos desafios. Logo, no pós-pandemia, as previsões apontam que o meio digital será cada vez mais usado, consolidando-se no cotidiano empresarial.

Nessa tendência de adotar inovações, é preciso atentar-se ao ERP. Isso porque ele é um recurso extremamente funcional na realidade de uma empresa e traz um impacto muito positivo sobre os negócios. Faça seu orçamento aqui.

Por que adotar o iCom em 2022?

Saiba como a adoção de um ERP deixa seu negócio alinhado às tendências mercadológicas

O mercado é extremamente dinâmico. As tendências e as normas estão sempre em mudança e estar atento a isso é um grande diferencial para sua empresa. Com a crise sanitária, as alterações nesse ramo foram mais rápidas e, agora, é preciso se preparar para o pós-pandemia.

Para 2022, já existem algumas previsões e a maioria delas vão ao encontro da tecnologia. Alguns exemplos de expectativas para esse novo ano são a consolidação do e-commerce e a ampliação do uso da automação tributária. Daqui em diante, a inovação é o caminho e, para saber lidar com elas, é importante ter como o aliado um ERP, como o iCom.

Por que a inovação é a principal tendência mercadológica para 2022?

Durante a crise sanitária, a tecnologia se mostrou a solução para diversos problemas. Reuniões durante o lockdown? Tecnologia, com as vídeochamadas. Lojas físicas fechadas? Tecnologia, com o e-commerce. Ou seja, a tecnologia foi a resposta para muitos desafios gerados pela pandemia.

Dessa forma, a promessa de que a tecnologia dominaria os ambientes empresariais foi confirmada com a crise de Covid-19. O digital já está presente e se mostrou eficiente também na organização das empresas, isso porque um Software de Planejamento de Gestão Empresarial (ERP) integra o gerenciamento de compras, vendas e processos financeiros, facilitando o planejamento do negócio.

 Quais inovações o iCom proporciona?

A lista de benefícios ligados à tecnologia oferecidas pelo iCom é longa. Algumas vantagens importantes são:

Soluções personalizadas

O iCom é feito para atender as necessidades específicas de cada negócio, se adequando a realidade da empresa.

Atualização constante

O sistema do iCom se atualiza de forma automática. Isso quer dizer que sua empresa estará sempre acompanhando as mudanças em diversas áreas, como modificações em legislações e regras federais.

Automação de processos

Automatizar a gestão de estoques, o controle de fluxo de caixa e a emissão de boletos impulsiona a produtividade da empresa.

Inteligência fiscal

Quando uma empresa utiliza um software para fazer sua gestão de tributos, ela conta com a tecnologia de uma inteligência fiscal. O iCom oferece esse serviço, que é de grande valia, pois é seguro, cômodo e eficaz.

Maior produtividade

Com menos tempo gasto em processos manuais, sobra mais tempo para decisões pensadas de forma estratégica e inteligente. Logo, a eficiência da sua empresa tende a melhorar.

Conclusão

Não tem mais como ignorar a tecnologia na gestão de uma empresa. Ela faz parte de todos os processos, desde o funcionário até o cliente.

Por isso, investir num ERP, como o iCom, traz praticidade, colabora com o crescimento da sua empresa e faz com que o seu negócio se destaque no mercado.

Fontes:
https://www.ludospro.com.br/blog/tendencias-do-mercado-de-trabalho
https://fdr.com.br/artigos/pandemia-mudou-o-mercado-e-o-mercado-mudou-suas-oportunidades-entenda/
https://dicas.vestibulares.com.br/futuro-mercado-de-trabalho/

Entendendo o Imposto de Renda sobre Pessoas Físicas

Da definição ao funcionamento: fique por dentro das principais características do IRPF

O que é IRPF?

Imposto de Renda sobre Pessoas Físicas – ou IRPF – é um tributo de nível federal sobre a renda, ou seja, sobre o que o indivíduo recebe. Conhecido por “Leão” desde 1979, quando esse animal virou o símbolo da Receita Federal, ele é um dos tributos mais abrangentes.

Anualmente, o governo solicita que os trabalhadores com renda acima de certo valor informem a Receita Federal sobre os seus ganhos. Geralmente, a cobrança do IRPF acontece entre março e abril.

O valor do Imposto de Renda é determinado conforme os rendimentos declarados, desta forma, cidadãos com rendas maiores pagam mais impostos, enquanto as pessoas com renda menor pagam menos.

A origem desse imposto remonta ao século 18, na Inglaterra. Napoleão precisava de receita para financiar a guerra e seu primeiro-ministro achou como solução emprestar dinheiro dos cidadãos que tivessem rendas maiores. Já no Brasil, o Imposto de Renda surgiu em 1922 e, na época, foi alvo de diversas críticas.

Como o Imposto de Renda funciona?

O Imposto de Renda sobre Pessoas Físicas exige a apresentação de comprovantes de todos os rendimentos obtidos ao longo do ano anterior, incluindo rendimentos de aplicações financeiras em bancos e corretoras e informes de rendimentos de fontes pagadoras.

É necessário que o contribuinte do IRPF declare todas as fontes de renda: o que recebeu como assalariado, como prestador de serviços, como sócio de empresa, como aposentado, etc.

As alíquotas desse tributo variam de acordo com a renda do contribuinte, e as pessoas que tiverem a receita abaixo do limite determinado não precisam fazer a declaração.

Resumidamente, o IRPF é uma declaração de tudo que o contribuinte ganhou no ano anterior.

Existem duas modalidades desse tributo e cabe ao trabalhador escolher a que mais se encaixa na sua realidade. A primeira é a simples, feita sem deduções permitidas, destinada a contribuintes que tiveram poucas despesas no ano passado e não possuem dependentes.

A segunda é a completa, na qual todos os gastos com saúde e educação de dependentes devem ser discriminados pelo contribuinte de acordo com as notas fiscais, o que é vantajoso quando se tem muitas despesas a serem deduzidas.

Atualmente, a declaração pode ser feita por meio de tablets, computadores ou até mesmo pelo celular e o pagamento é realizado por boleto bancário ou por débito automático.

Qual a utilidade do Imposto de Renda?

Para o prestador de contas, é uma forma de fazer uma avaliação geral da sua vida financeira, desde os gastos em serviços até seus investimentos.

Já para o governo, o IRPF serve para adquirir receita. Além disso, ele tem um objetivo social, pois a ideia é que pessoas com rendas maiores façam contribuições maiores, as quais vão ser revertidas em melhorias para toda a sociedade.

O que acontece em caso de inadimplência?

Ficar inadimplente, ou seja, faltar com essa obrigação, pode trazer muitos problemas. Um deles é o pagamento com multa. Também pode ocorrer do contribuinte cair na malha fina, que é quando a Receita Federal nota alguma incompatibilidade na declaração, e, então, o órgão pede uma prestação de esclarecimentos.

Em caso de erros ou esquecimento, é preciso apresentar uma retificação junto à Receita, num prazo de até 5 anos.

Confira algumas dicas para lidar com o Imposto de Renda

Preencher o Imposto de Renda pode ser complexo, já que envolve muitos documentos e comprovantes. Mas, algumas práticas podem ajudar:

– A lista de documentos necessários é extensa, então, mantenha-os organizados;

Instale o aplicativo da Receita Federal no seu celular ou o programa em seu computador, pois assim você consegue prestar suas contas e acompanhar o andamento do processo;

– Analise qual é a declaração mais pertinente a você. A escolha entre a “simples” ou a “completa” deve ser feita conforme a realidade do cidadão;

– Guarde seus arquivos. Imprima o recibo e a declaração, já que isso facilita a importação de dados no ano seguinte;

– Atente-se sempre ao prazo, para evitar dores de cabeça;

– Armazene os documentos referentes à Declaração por 5 anos;

– Cuidado com a digitação. Esbarrar em números no teclado e enviar dados errados pode gerar um retrabalho grande;

– Um ERP é feito para facilitar a administração da sua empresa e trazer independência na gestão financeira. Dessa forma, o iCom deixa as informações necessárias para a declaração dispostas de modo claro e prático, o que traz mais segurança e organização ao processo.

Confira mais benefícios em ter o iCom como aliado da sua empresa aqui.

Fontes:
https://www.infomoney.com.br/guias/imposto-de-renda/
https://www.btgpactualdigital.com/como-investir/artigos/imposto/tudo-sobre-imposto-de-renda
https://brasilescola.uol.com.br/economia/imposto-de-renda-pessoa-fisica.htm
https://www.contabilizei.com.br/contabilidade-online/tudo-sobre-imposto-de-renda-irpf/

7 erros para não cometer na Black Friday

Entenda os erros que você deve evitar para garantir seu sucesso durante o evento

A Black Friday é um evento que promete muito sucesso para os negócios. Porém, algumas práticas podem comprometer os benefícios que a data proporciona.

Para evitar prejuízos, é bom estar por dentro dos erros que podem prejudicar sua empresa nessa data e, assim, evitá-los.

O post de hoje é um alerta para as falhas mais cometidas nesse período. Juntamente a isso, vamos mostrar como iCom age nesse cenário, sendo um grande aliado do empresário. A seguir, os 7 erros mais comuns:

1. Fazer propaganda enganosa

No Brasil isso tem até um nome popular: Black Fraude. O termo é usado para fazer referência à prática de maquiar preços, ou seja, a empresa eleva o preço do produto nos dias que antecedem o evento, para então dar descontos falsos. 

Caso o seu cliente se sinta iludido, dificilmente ele voltará a fazer compras no seu estabelecimento. Por isso, analise sua situação e ofereça descontos reais, condizentes com a sua realidade.

2. Não ter um controle de estoque eficiente

O estoque da empresa precisa estar coerente com a estratégia proposta para Black Friday. Se um freguês compra um produto e depois descobre que está em falta, se decepcionará e não verá sua marca com a mesma credibilidade. Faz parte de um bom serviço suprir as expectativas do cliente, para então, fidelizá-lo.

3. Desconsiderar a experiência do cliente

Assim como o lucro, a experiência do cliente é muito importante para que seu negócio prospere. Conhecer o que seu cliente precisa e quer é fundamental.

4. Ter uma logística bagunçada

 A logística é importante durante todo o processo, desde a origem dos seus produtos até o momento da compra do cliente. A desorganização nesses setores pode prejudicar suas vendas, seus lucros e a sua relação com o freguês.

5. Fazer descontos aleatórios

Planejamentos são necessários na hora de atribuir descontos. É preciso estratégia, para que as promoções sejam vantajosas para seu negócio e para o cliente. Um bom exemplo é aproveitar a Black Friday para liquidar estoques que estão parados há muito tempo.

6. Subestimar o papel das campanhas de marketing

 Os consumidores precisam conhecer seu negócio e suas promoções. É necessário que a divulgação seja direcionada. Isto é, esse trabalho tem que ser personalizado, de acordo com o modelo de negócio, público alvo, etc.

7. Desprezar a inovação

Para poder concorrer com outras empresas na Black Friday é preciso se modernizar e adotar soluções inovadoras. Isso porque, no atual mercado, marcado pela alta competitividade, não se render à tecnologia é ficar ultrapassado.

Conclusão

A Black Friday tem potencial de trazer muitos benefícios ao seu negócio. Mas alguns erros podem fazer com que o resultado seja o contrário, e que sua empresa acabe arcando com uma série de prejuízos. Pensando em minimizar a chance de ter esses problemas, é recomendável a adoção de um ERP.

O iCom é um ERP que tem como proposta otimizar o trabalho empresarial. Na Black Friday, ele é de extrema valia, pois oferece soluções para vários dos problemas listados neste post. 

Algumas das funções proporcionadas pelo software que podem ajudar durante o evento são: 

  • produção de relatórios a partir da realidade da empresa, o que facilita a tomada de decisões estratégicas; 
  • geração de dados de tendência de compra, colaborando para que a empresa forneça o que o cliente precisa; 
  • estoque assertivo e inteligente, garantindo flexibilidade na gestão e no monitoramento do pedido do freguês.

Dessa forma, fica claro que se aliar ao iCom é investir em praticidade, segurança e produtividade. Faça já seu orçamento!

Fontes:
http://www.agentemarketing.com.br/blog/2019/11/5-erros-para-evitar-na-black-friday/
https://www.jornalcontabil.com.br/confira-os-principais-erros-na-black-friday-e-dicas-praticas-para-evita-los/

iCom como aliado do supermercadista

Entenda como um Software de Planejamento de Gestão Empresarial, um ERP, pode colaborar com o desenvolvimento do seu supermercado

O dia 12 de novembro é considerado o Dia Nacional do Supermercado. Nessa mesma data, no ano de 1968, foi oficializada a profissão dos supermercadistas. Desde então, os profissionais da área possuem um dia no ano dedicado a comemorar a regulamentação e o crescimento do setor. Além disso, também é uma data para vislumbrar as potencialidades a serem exploradas nesse ramo.

Entre essas potencialidades está a adoção de um ERP. Isso porque um software como o iCom fornece diversos benefícios que colaboram com o avanço do seu estabelecimento. Para marcar o Dia Nacional do Supermercado, vamos mostrar como o setor pode se beneficiar dessa tecnologia!

Utilidades do iCom na organização de supermercados

Supermercados não conquistam um bom desempenho apenas oferecendo qualidade no preço e no atendimento. Inovação e praticidade são duas palavras chaves quando falamos em administração desse tipo de negócio. Assim, iCom pode ser aplicado em supermercados para que eles cresçam e se destaquem.

Em nosso blog, já listamos 10 vantagens em adotar o iCom. No post de hoje, vamos focar na realidade dos supermercados, e mostrar 6 razões que provam que esse ERP pode ser a modernização que seu negócio precisa:

1. O software se adequa ao porte do supermercado

A i12 sistemas trata o cliente como protagonista e, antes da instalação do software, busca conhecer o supermercado a fundo para poder suprir todas as suas necessidades. Isso porque estabelecimentos de pequeno, médio e grande porte possuem demandas diferentes, exigindo soluções personalizadas.

Vale lembrar que o iCom é um ERP personalizado, ou seja, suas funcionalidades estão de acordo com a rotina de cada negócio.

2. A automação de processos atua em diversas frentes

Automatizar processos manuais é minimizar erros. Isso porque quanto mais processos manuais seu supermercado realizar, maior a chance de falhas. 

A automação de processos beneficia muitas áreas, incluindo:

  • o controle de entrada e de saída de estoque, evitando gôndolas vazias e o desperdício de produtos;
  • o controle fiscal, uma vez que supermercados lidam com diversos itens e cada um possui uma tributação específica; 
  • o controle de vendas, acompanhando as compras feitas na loja, as entregas e as encomendas; etc.

3. O iCom acompanha as atualizações mercadológicas

Novidades como a do Pix Saque e do Pix Troco impactam os supermercados. Um ERP pode ajudar seu estabelecimento a estar atento às mudanças que surgem e a aderi-las estrategicamente.

4. A migração de dados de sistemas operacionais anteriores ao iCom não ocasiona na perda de informações

Com o iCom, há tranquilidade na troca de sistemas. Os dados armazenados se mantêm, porém com o adicional de novas funções, como:  inserção e ajuste do estoque por XML e ferramentas de gerenciamento.

5. Acompanhamento e assistência constante ao cliente

A i12 sistemas dispõe de suporte técnico sempre que necessário, inclusive por canais remotos. Isso garante a qualidade das soluções oferecidas pelo iCom.

6. Fidelização de clientes

Com a produção de relatórios detalhados sobre os resultados do supermercado, fica mais fácil identificar práticas que funcionam e áreas que precisam de melhorias. Logo, conquistar uma clientela consistente torna-se uma tarefa acessível.

Conclusão

O iCom pode ser um grande aliado do seu supermercado, pois ele proporciona conforto administrativo e funcionalidades coerentes às suas necessidades. Isso tudo acontece por meio da autonomia de gestão, estoque e informação adequada a este tipo de estabelecimento.

Além disso, contar com o apoio desse software traz uma base de dados consistente, um gerenciamento de estoque eficaz e uma administração comunicativa eficiente. Por consequência, seu supermercado estará muito mais propício ao crescimento.

Fontes:
https://www.calendarr.com/brasil/dia-dos-supermercados/
https://sanityconsultoria.com/dia-nacional-dos-supermercados-e-comemorado-em-12-de-novembro/

Gestão tributária: entenda a importância de um controle fiscal de qualidade

A negligência na organização fiscal pode prejudicar o avanço da sua empresa, saiba como um ERP pode ser a solução

Manter um negócio funcionando exige organização. O setor tributário da empresa não pode passar despercebido, nem ter sua relevância subestimada. Isso porque uma boa gestão tributária pode gerar ganhos, reduzir custos e melhorar resultados.

Por isso, vamos explicar o que é gestão tributária e quais as vantagens de um ERP nesse setor. Além disso, mostraremos as consequências de uma boa gestão tributária em comparação à uma gestão ineficiente.

O que é Gestão Tributária?

Gestão tributária é o controle do pagamento de impostos de uma empresa. A atividade envolve muitas tarefas, como planejamento, análise, controle financeiro, economia e controle das contribuições.

Dentro dessa área, existem diversas funções e delimitá-las é importante para o bom funcionamento do negócio.

No setor fiscal de uma empresa, por exemplo, há várias atribuições, como: emissão de notas fiscais; acompanhamento de atualizações das normas fiscais e tributárias; apuração dos tributos; etc.

Já na parte tributária, os encargos são: fazer o planejamento tributário; viabilizar a continuidade do serviço; cuidar dos tributos cabíveis a empresa; etc.

Ambos os departamentos precisam ser eficientes para que haja uma visão ampla da companhia, assim, possibilitando que ela tome decisões assertivas e prósperas.

Num contexto como o do Brasil, no qual há muitas burocracias e a legislação fiscal está em constante mudança, é fundamental que haja uma grande atenção voltada a esse ponto.

Dessa forma, é preciso estabelecer uma rotina fiscal clara. Isso ajuda a cumprir os prazos e as regras que esse ramo exige. Por consequência, isso evita erros, minimiza falhas e diminui a probabilidade de arcar com multas e autuações.

Quais as vantagens de um ERP na gestão tributária?

Todos esses trabalhos podem ser facilitados e melhorados quando se adota um ERP. Isso porque um software te fornece dados confiáveis e regulares para identificar o tempo certo de comprar e vender produtos, precificar a mercadoria e, desse modo, manter um equilíbrio entre a receita de saída e de entrada da empresa.

Adotar um software é investir em qualidade e em otimização de processos. É uma escolha que traz uma série de vantagens, entre elas:

– Redução de erros, pois um software permite saber, calcular e medir os riscos no âmbito tributário;

– Acesso aos benefícios fiscais, já que a automação fiscal realiza uma revisão tributária que explicita os créditos fiscais;

– Tomada de decisões inteligentes e estratégicas, porque o ERP destaca as áreas que precisam de mais atenção na empresa.

Mas a inteligência fiscal vai ainda mais além. Se você ainda tem dúvidas sobre as vantagens de ter um software como aliado do seu negócio, acesse o post sobre automação fiscal.

Boa gestão tributária x Gestão tributária ineficiente

Como desenvolver uma boa gestão tributária?

Uma boa gestão tributária tem como características principais o controle e a organização. Para a estruturação de um bom planejamento tributário, o controle das provisões financeiras e um sistema tecnológico adequado são essenciais.

Com uma gestão tributária eficiente, a empresa terá uma maior probabilidade de obter um custo fiscal menor, de crescer em seu mercado e de aumentar a competitividade. Logo, é importante que o empresário dê a devida atenção para esse setor, adotando um ERP.

Como evitar uma gestão tributária insuficiente?

Enquanto isso, uma gestão ineficiente é marcada pela execução de processos internos em desconformidade com o que a legislação tributária determina. Isso pode acontecer de diversas formas, tais como pela falta de organização e de documentação e pela ausência de controle nas movimentações da empresa.

O resultado disso são os riscos tributários. Ou seja, o negócio fica vulnerável ao pagamento de impostos indevidos, confusão operacional, superavaliação patrimonial, entre outros problemas.

Além disso, esse comportamento abre espaço para autuações, multas e até medidas judiciais. Ainda é válido considerar que isso tudo mancha a imagem da empresa, que vai precisar repassar o gasto extra ao preço final do seu produto.

Conclusão

Dirigir uma empresa é difícil e envolve escolhas. A gestão tributária é complexa, principalmente pelas mudanças constantes que a legislação sofre. Logo, optar por um ERP é uma saída inteligente, prática e segura, uma vez que essa tecnologia tem como propósito atender as necessidades específicas do seu negócio.

Fontes:
https://www.alertafiscal.com.br/blog/departamento-fiscal-e-tributario-entenda-as-principais-diferencas/
https://www.blbbrasil.com.br/blog/planejamento-tributario/
https://www.segatocontabilidade.com.br/como-proteger-sua-empresa-riscos-tributarios
https://www.casamagalhaes.com.br/blog/legal-e-tributario/o-que-e-gestao-tributaria/

Desvendando o PIS

Entenda o que é o Programa de Integração Social e como ele está presente na rotina das empresas

O empresário precisa pagar diversos impostos para garantir o funcionamento do seu negócio. Entre eles está o PIS, uma contribuição que muitos conhecem pelo nome, mas, muitas vezes, não sabem ao certo como é calculada e qual é sua importância.

Nesse texto, vamos trazer informações sobre a definição e as funções do PIS, além de indicar uma forma segura de lidar com esse tributo: a automação fiscal.

O que é o PIS?

O Programa de Integração Social, ou PIS, é uma contribuição social no âmbito de competência da União. Isso quer dizer que o montante arrecadado com esse programa não se destina aos Estados e municípios. Dessa forma, essa receita tem como finalidade a promoção da integração social dos trabalhadores.

Como o PIS é voltado aos funcionários de empresas privadas, a instituição responsável pela administração do dinheiro arrecadado é a Caixa Econômica Federal.

O PIS costuma ser relacionado ao COFINS, pois ambos possuem a mesma base de cálculo. Porém, eles são impostos distintos, tanto que suas regulamentações são diferentes entre si. Enquanto o PIS é instituído pela Lei Complementar nº 7, de 7 de setembro de 1970, o COFINS é estabelecido pela Lei Complementar nº 70, de 30 de dezembro de 1991.

Como o PIS funciona?

O PIS incide sobre a totalidade das receitas do contribuinte e é recolhido mensalmente. Há duas formas de se calcular o valor do imposto: pela incidência cumulativa ou pela incidência não cumulativa.

Além disso, é importante ter conhecimento de 3 termos para entender como funciona a cobrança do imposto: a base de cálculo, que se refere ao valor que servirá de referência à cobrança do tributo; o fator gerador, isto é, a operação de recolhimento de receita pela empresa; e os contribuintes, que diz respeito ao regime tributário.

Qual a funcionalidade desse tributo?

Para a esfera pública, o PIS é uma forma de garantir direitos determinados por lei aos trabalhadores.

Já para os empresários, pagar o PIS é uma maneira de assegurar a idoneidade do negócio, pois dessa forma há a garantia que os funcionários receberão o benefício.

Como o pagamento do tributo afeta o cotidiano empresarial?

Conduzir um negócio implica lidar com tributos. O PIS, assim como as outras contribuições, possui suas particularidades, seja no modo de fazer o cálculo, seja na periodicidade do pagamento. É por conta da existência de tantos impostos, com tantos pormenores, que gerenciar a parte tributária de uma empresa é uma tarefa muito complexa.

Entretanto, já é possível encontrar maneiras de unir praticidade e segurança nas questões tributárias. Um exemplo disso é a inteligência fiscal, que poupa tempo e diminui as chances de erro!

Tudo isso é feito por meio de um software de automação fiscal, como explicamos nesse post. O iCom oferece essa solução, faça já seu orçamento!

Fontes:
https://www.caixa.gov.br/beneficios-trabalhador/pis/Paginas/default.aspx/DVWA
https://www.caixa.gov.br/beneficios-trabalhador/pis/Paginas/default.aspx

10 erros que impedem o crescimento do seu negócio

Conheça os motivos que atrapalham o progresso da sua empresa e saiba como se proteger desses problemas

Ganhar dinheiro e ter sucesso é a premissa de todos os negócios. Mas, alcançar esse objetivo nem sempre é uma tarefa simples. Isso porque, na rotina empresarial, há várias armadilhas que podem prejudicar o bom funcionamento da companhia.

Ter conhecimento dos principais desafios presentes no caminho para um negócio bem sucedido evita tropeços. Pensando nisso, listamos 10 erros que devem ser evitados para preservar o crescimento da sua empresa:

1. Não estar atento ao que acontece em seu negócio

É importante estar informado sobre as movimentações contábeis da sua companhia, porque esses dados servem como base para decisões estratégicas. Isso é possível por meio de um software de gestão financeira, como o iCom, que realiza diversas ações para que o empresário faça atuações certeiras. Entre elas, podemos citar a produção de relatórios completos de acordo com a realidade da empresa.

2. Não ter planejamento e organização na empresa

A má gestão pode atrapalhar a empresa de diversas formas. Um exemplo é a falta de coerência entre o estoque e a demanda. Nesse caso, o iCom oferece um controle de estoque assertivo, monitorando os pedidos dos clientes.

3. Acumular todas as funções para si

Para ter um negócio próspero é fundamental contar com uma boa equipe e também com a ajuda da tecnologia. O empresário precisa estar por dentro do que acontece na empresa, mas, além disso, é importante que ele confie em profissionais e softwares especializados para a realização de tarefas que ele não domina. Logo, contar com um ERP, como o iCom, facilita a rotina da companhia, pois ele otimiza processos cotidianos e automatiza dinâmicas operacionais.

4. Ignorar a concorrência

O mercado está cada vez mais competitivo. Para se destacar é preciso ter diferenciais e, assim, cativar fregueses. O iCom te ajuda nisso, pois proporciona um melhor tempo de resposta ao mercado. Esse benefício é resultado da melhora de comunicação entre os setores da empresa e da disposição organizada das informações.

5.  Misturar pessoa física e pessoa jurídica

Usar verba da companhia para compras pessoais ou gastar dinheiro próprio para fins empresariais é um grande erro. Isso compromete as finanças do seu negócio, interferindo no balanço financeiro dele. Evitar esse problema pode ser simples: adotando um ERP, tal como o iCom, sua empresa automatiza os processos de cada área, promovendo o controle do fluxo de caixa.

6. Não acompanhar as mudanças

As empresas lidam com alterações constantemente. Os processos tecnológicos, financeiros e mercadológicos sempre mudam e o seu negócio precisa estar sincronizado com as atualizações do mercado. Entre as novidades no mundo empresarial que beneficiam as empresas está o ERP, uma tecnologia que interliga todos os dados e processos de uma organização em um único sistema.

7. Administrar mal o lucro

Não saber lidar com o lucro pode prejudicar o rumo da sua empresa. Há várias questões neste tópico, como onde e de que forma reinvestir esse dinheiro. Nesse sentido, o iCom reduz drasticamente os riscos financeiros e os gastos exacerbados, potencializando o seu lucro.

8. Negligenciar as obrigações do seu negócio

Não há escapatórias: ter uma empresa requer o pagamento de impostos. Empresários precisam estar regulares perante ao Fisco para terem sucesso. Caso contrário, virão multas e sanções. Logo, é preciso ter conhecimento sobre quais tributos devem ser pagos, com qual frequência e qual é a sua influência para a gestão empresarial. Nessa hora, a melhor coisa é contar com a automação fiscal, serviço oferecido pelo iCom. Assim, um software se responsabilizará por cuidar dos impostos da empresa, trazendo economia de tempo e segurança ao empreendedor.

9. Não priorizar o cliente

Inserir produtos ou serviços que não estejam de acordo com o que o consumidor deseja é ineficaz para alavancar as vendas do seu negócio. É necessário considerar o cliente na hora de fazer a gestão da empresa. Tendo isso em mente, o iCom te auxilia por meio da produção de dados sobre tendências de compras e através da flexibilização da relação com o cliente e do controle de estoque, fornecendo aquilo que o freguês necessita.

10. Insistir em processos manuais

Há muitos processos dentro de uma empresa: gestão de estoques, emissão de boletos, controle de fluxo de caixas, etc. Essas são só algumas das atividades que uma empresa deve realizar. Encarregar-se dessas funções repetitivas é exaustivo. Uma boa alternativa para isso é o que o iCom faz: automatizar processos. O efeito disso é ganho de tempo útil para investir em outros processos da empresa e para resolver questões operacionais de forma mais ágil.

Ter um negócio não é fácil, é preciso de conhecimentos e investimentos. Agora que você está ciente dos principais erros a serem evitados, ficará mais fácil administrar sua empresa.

Mas você sabe o que também ajuda no desenvolvimento do seu negócio? Como essa lista indicou, o apoio de um ERP traz mais segurança, comodidade e eficiência à empresa. É isso que o iCom se propõe a ser: um software para colaborar com o sucesso das empresas.
Faça o seu orçamento aqui!

Fontes:
https://valorinveste.globo.com/blogs/seu-negocio/post/2021/08/5-erros-que-todo-empreendedor-deve-evitar.ghtml
https://www1.folha.uol.com.br/mpme/2020/08/aprenda-a-evitar-dez-erros-comuns-na-hora-de-abrir-um-negocio.shtml

Confira as principais características da COFINS

Entenda como o pagamento da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social afeta o cotidiano empresarial

Os encarregados em lidar com a rotina fiscal de uma empresa sabem que existem muitos impostos e que cada um deles tem sua particularidade. Mas uma coisa eles têm em comum: seu pagamento é indispensável para o bom desempenho da empresa.

Por isso, é importante entender os pontos mais relevantes sobre a COFINS e como o iCom pode trazer praticidade e segurança ao setor tributário da sua empresa.

O que é COFINS?

COFINS é a sigla para Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social. Trata-se de um imposto federal, cobrado com base na receita bruta das empresas.

O tributo em questão foi criado em 1991, instituído pela Lei Complementar 70. Ele deve ser pago pela maioria das empresas. As exceções são: o Microempreendedor Individual (MEI), as Microempresas (ME) e as Empresas de Pequeno Porte (EPP), que estão enquadradas no regime tributário Simples Nacional.

Para pagar a COFINS é necessário emitir o Documento de Arrecadação de Receita Federal, ou DARF, que possui uma guia para cada imposto. O prazo para o pagamento é sempre o dia 25 de cada mês.

Junto com a COFINS, também é cobrado o PIS. Mas é válido ressaltar que eles são impostos distintos, com alíquotas e finalidades diferentes.

Qual a finalidade desse imposto?

A COFINS tem a função de arrecadar verba para o financiamento da seguridade social. Ou seja, o governo destina esse dinheiro à previdência, à saúde e à assistência social aos trabalhadores, por exemplo.

Enquanto isso, para o empresário, o pagamento desse tributo serve para ter conhecimento dos custos de sua mercadoria e também para se manter regular perante ao fisco.

Como é o pagamento desse tributo?

A COFINS é calculada a partir da receita total da empresa. Há duas opções para a cobrança do imposto: por meio do regime cumulativo, para companhias com lucro presumido, com uma alíquota de 3%; ou pelo regime não cumulativo, para negócios com lucro real, tendo a alíquota de 7,6%. 

Por mais que uma das modalidades pareça mais barata, é preciso de uma análise individual a fim de decidir o que compensa para cada negócio. Isso porque somente o regime não cumulativo oferece o benefício do recolhimento da diferença entre débitos e créditos. Desse modo, o regime cumulativo não permite nenhum desconto de crédito.

Quando se fala em COFINS, de que forma o iCom pode auxiliar?

Assim sendo, percebe-se que o empresário tem muitos deveres e obrigações para manter um negócio operando adequadamente. A COFINS é só um dos diversos impostos que uma companhia tem que lidar e apenas ela já demanda muita atenção do comerciante para ser paga na forma mais vantajosa e para não ocorrer atrasos ou incoerências.

Pensando em trazer soluções para o setor tributário de uma empresa, o iCom possui Inteligência artificial em seu software. O resultado disso é uma rotina fiscal organizada e eficiente, como explicamos nesse post sobre automação tributária.

Fontes: 
https://nfe.io/blog/financeiro/o-que-e-cofins/
https://fgvprojetos.fgv.br/sites/fgvprojetos.fgv.br/files/artigo_schontag_cofins.pdf

Conheça o Pix Saque e o Pix Troco

Entenda as novas ações do Banco Central que têm tudo a ver com a tendências de automação fiscal no seu negócio

No final de 2020 surgiu o Pix, prometendo facilidade e rapidez nas transferências e nos pagamentos. Cerca de um ano depois desse lançamento, mais duas novas modalidades serão oferecidas: o Pix Saque e o Pix Troco.

O Banco Central anunciou essas propostas no início de setembro e elas funcionarão a partir de 29 de novembro. Para o comerciante avaliar se compensará a adesão dessas opções, é preciso esclarecer as funcionalidades, os objetivos e os impactos das modalidades.

O que é o Pix?

O Pix é um meio de pagamento instantâneo e gratuito, que foi criado com o objetivo de tornar as transferências entre pessoas e o pagamento de contas mais prático. Seu grande diferencial é a rapidez, pois ele permite que se faça transferências em qualquer dia e horário em tempo real.

O Pix foi elaborado pelo Banco Central e começou a vigorar em novembro de 2020. Ele é uma alternativa a outras formas de transferência, como TED e DOC.

O que é o Pix Saque e o Pix Troco?

Pix Saque e Pix Troco são as novas funcionalidades que os negócios poderão oferecer aos seus clientes. Essas opções vão possibilitar que as pessoas saquem dinheiro em espécie por meio do Pix em estabelecimentos cadastrados para isso.

O Pix Saque funcionará da seguinte forma: o cliente faz um Pix ao comércio e recebe ele de volta em dinheiro físico. Já no Pix troco, o dinheiro físico recebido é a diferença entre o valor da compra e o valor pago ao estabelecimento pelo Pix. Ambos serão realizados por meio da leitura de um QR Code.

Os negócios que disponibilizarem essas funções terão como resultado a redução de dinheiro em espécie no caixa, o que pode diminuir gastos com segurança e transporte de valores e atrair fregueses, por exemplo.

Os estabelecimentos não são obrigados a dispor desses serviços. Mas aqueles que desejam se cadastrar precisam buscar a instituição que os atende e pedir para adotar o sistema.

É válido destacar que o comerciante tem poder de decisão sobre os dias e os períodos que ofertará as modalidades, além das informações sobre os valores.

Conclusão

A ação do Pix Saque e do Pix Troco objetivam a automação de processos nos negócios e a facilidade para diversos tipos de comerciantes e de clientes. Essas modalidades podem ser vantajosas ao seu negócio, uma vez que possuem potencial de trazer uma melhor gestão do dinheiro e de dar visibilidade aos seus produtos ou serviços.

O Pix Saque e o Pix Troco também vão instigar a competitividade no mercado, pois contribuem com a oferta de serviço de saque.

É importante estar atento às atualizações que podem impactar seu estabelecimento. Por isso, estamos sempre apresentando informações relevantes ao desenvolvimento do seu negócio. Já comentamos sobre os benefícios da automação tributária, a utilidade do IPI, entre outros temas de interesse de empresas. Confira esses e os demais posts pelo nosso blog.

Fontes:
https://economia.uol.com.br/guia-de-economia/o-que-e-pix-tudo-sobre-o-novo-sistema-de-pagamentos.htm
https://www.correiobraziliense.com.br/economia/2021/09/4947625-saiba-tudo-sobre-as-novas-modalidades-do-pix-pix-saque-e-pix-troco.html
https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/09/02/pix-saque-e-pix-troco-comecam-a-funcionar-em-29-de-novembro-informa-banco-central.ghtml

New Tweet